Pesquisa

Translate Site

Instagram

O JB está agora no Instagram. Siga-nos aqui!

↑   Voltar ao Topo   ↑

Centro de Acolhimento e de Interpretação do Jardim Botânico

O Centro de Acolhimento e de Interpretação do Jardim Botânico da UTAD constitui a porta de entrada num dos maiores jardins botânicos da Europa. Através deste espaço museologístico temos acesso a mais de 130 hectares de superfície, com quase mil espécies vegetais diferentes. Com ajuda de informação gráfica e dos nosso sistema de orientação virtual, inédito entre os jardins botânicos, o visitante pode inciar a descoberta do reino vegetal.

Centro de Interpretação do Jardim Botânico

Este centro não só alberga a área de informação e interpretação do Jardim Botânico da UTAD, como também o Herbário desta instituição. Uma sala com ambiente controlado de modo constante permite uma das colecções de plantas vasculares mais diversas, pois aqui não só está armazenado germoplasma português como também um basto conjunto de outras procedências ibéricas, da bacia mediterrânica e do resto do planeta.


Exposição permanente no Centro de Acolhimento e de Interpretação

A exposição sobre Flora e Vegetação da Bacia Hidrográfica do Corgo inicia o percurso oficial do Centro de Acolhimento e Interpretação para o Jardim Botânico da UTAD. Através de um suporte gráfico em paineis e imagens, esta exposição pretende dar a conhecer a diversidade florística que encerra o tapete vegetal desta bacia. De facto, uma dos seus aspectos mais destacados tem a ver com a própria orografia e extensão, que caracterizam esta região hidrográfica. O rio Corgo nasce em Vila Pouca de Aguiar e atravessa unicamente quatro concelhos (além de Vila Pouca de Aguiar, também banha os municípios de Vila Real, Santa Marta de Penaguião e Peso da Régua). Juntamente com esta limitação geográfica há um outro aspecto muito relevante, a sua abrupta e intrincada orografia. Dois imponentes sistemas montanhosos encerram a bacia: do lado Oeste os Montes do Marão e do Alvão, enquanto que à Este os Montes da Padrela limitam o seu contorno hidrográfico. Estas muralhas naturais chegam a atingir cotas ligeiramente superiores aos 1400 m perto da foz do rio, situada a uns escasos 50 m sobre o nível do mar. Com estas diferenças altitudinais tão bruscas é fácil imaginar a enorme diversidade de microclimas que surgem ao longo desta pequena bacia, o que facilita a presença de uma altíssima diversidade florística.

Centro de Interpretação do Jardim Botânico

Perto de 1000 espécies de plantas vasculares já foram encontradas nesta área, sendo que essa diversidade ambiental tão complexa faz com que este trabalho de exploração florística ainda esteja muito longe de estar concluído. Para isso o indicador de endemicidades, ou espécies com distribuições restringidas, é um excelente medidor deste fenómeno. Da totalidade dessas espécies já mencionadas, aproximadamente um 30% são endémicas norocidentais da Península Ibérica. Estamos, sem qualquer dúvida, perante um museu de vida com umas potencialidades magníficas para o estímulo da criatividade. Um verdadeiro exemplo da imaginação e do esforço evolutivo.


Inauguração do Centro de Acolhimento e de Interpretação

O Centro de Acolhimento e de Interpretação para o Jardim Botânico da UTAD foi inaugurado no dia 12 de Junho de 2012. Esta inauguração contou com uma largada de borboletas e com a abertura da exposição sobre Flora e Vegetação da Bacia do Rio Corgo, contando com a presença das autoridades autárquicas e universitárias.

Receber e informar às visitas do Jardim Botânico é o objectivo prioritário deste Centro. Para esse fim esta área conta com exposições temporárias e permanentes sobre flora, bem como informação gráfica (folhetos e guias de campo) que ajudem o visitante a conhecer esta magnífica colecção viva de plantas procedentes do mundo inteiro.

Centro de Interpretação do Jardim Botânico
Centro de Interpretação do Jardim Botânico
Centro de Interpretação do Jardim Botânico
Centro de Interpretação do Jardim Botânico

Um processo longo de construção e acondicionamento permitiu ao Centro de Acolhimento possuir não só uma sala de exposições, como também um banco de germoplasma herborizado e uma zona de propagação de plantas. Todas estas áreas podem ser percorridas por aqueles que façam do Jardim Botânico da UTAD um ponto de visita obrigatório na sua passagem por Vila Real.


Partilhe esta página


Comentários