Pesquisa

Translate Site

Instagram

O JB está agora no Instagram. Siga-nos aqui.

Voltar ao Topo

Estágios de investigação

Muitos são os alunos que no fim da sua licenciatura optam por desenvolver um estágio de investigação semestral, que facilite a adquisição de experiência investigadora, ao mesmo tempo que ECTs para o seu curriculum académico. Para este fim, o Herbário tem um programa de acolhimento de estágios de investigação, que contemplam cada uma das áreas de investigação aqui desenvolvidas, juntamente com a realização de uma tese de licenciatura e as respetivas publicações científicas do trabalho em causa.


Título Caracterização estrutural da vegetação desenvolvida em vinhedos com sistemas mistos de controlo de infestantes
Âmbito Estágio de investigação,
Autor María Luna Benavides
Ano 2006
Resumo Dois aspectos decisivos para a vitivinicultura são desenvolvidos ao longo do presente estágio de investigação, o controlo das infestantes e a análise das implicações do uso dos herbicidas na estrutura dessa vegetação infestante. De acordo com os objectivos propostos é analisada a vegetação para três técnicas de controlo diferentes: duas técnicas de cobertura, uma com coberto natural e outra com aveia e vegetação natural, bem como uma terceira técnica com controlo químico (através do uso de herbicidas). As estações de amostragem estão incluídas na Região Demarcada do Douro, mais especificamente nas Quintas de São Luíz, Dª Matilde e Seixo. Para o conjunto destas três Quintas foram seleccionados três tipos de vinhedos: vinha ao alto, vinha pós-filoxérica e vinha em patamar. As implicações do controlo químico, não só na qualidade final do vinho, como também na conservação da biodiversidade vegetal, estão a constituir uma preocupação crescente entre os viticultores durienses. Por estas razões, diversas alternativas ao uso de herbicida estão a ser implementadas, de modo a permitir um controlo eficiente da vegetação natural dos vinhedos, conservando ao mesmo tempo este recurso endógeno. Por estas razões, o presente trabalho não só analisou a diversidade florística existente nos vinhedos da Região Demarcada do Douro, como igualmente caracterizou o efeito quer das coberturas naturais, quer das coberturas com aveia na conservação da diversidade e estrutura vegetais. Os resultados destes estudos apontam à presença de uma importante diversidade florística na vegetação natural das vinhas durienses. Ao mesmo tempo são aconselhados o uso de coberturas naturais, especialmente em terrenos pouco declivosos e férteis, bem como o recurso à Avena sativa para vinhedos em terrenos declivosos e pobres. A sementeira desta última espécie é decisiva para acelerar a formação de uma cobertura vegetal natural, uma vez que não é muito competitiva, produz uma re-sementeira gradualmente menor ao longo dos primeiros anos de implementação e, atendendo a sua deficiente competitividade, acaba por desaparecer destas culturas em substituição da diversidade natural das mesmas.
Palavras-chave Vinhas, controlo de infestantes, herbicidas, coberturas, estrutura da vegetação.

[↑ Voltar ao topo]


Título Catálogo florístico da serra de Portel
Âmbito Estágio de investigação, Relatório Final de Estágio da Licenciatura em Engª Florestal
Autor Nuno Vieira Santos
Ano 2006
Resumo Baseado na publicação nº 8 da Colecção Natureza e Paisagem, de título "A Serra do Portel. Flora e Vegetação" da autoria de José Vicente Cordeiro Malato Beliz e editado pelo Serviço Nacional de Parques, Reservas e Conservação da Natureza em 1990, destina-se este estágio a constituir uma revisão e complemento da referida publicação. Nesta revisão são incluídas chaves dicotómicas para a identificação dos taxa familiares, genéricos, específicos e infra-específicos. Também, e de modo a completar a informação já existente, são apresentados mapas de distribuição em Portugal para cada um dos taxa encontrados na Serra de Portel (Alto Alentejo).
Palavras-chave Flora, taxonomia, serra de Portel.

[↑ Voltar ao topo]


Título Flora das serras do norte de Portugal. I. Trás-os-Montes e Beira Alta
Âmbito Estágio de investigação, Relatório Final de Estágio da Licenciatura em Biologia
Autor João Filipe Figueiredo da Rocha
Ano 2006
Resumo Pretende-se analisar a flora vascular presente nas serras do norte de Portugal.. De acordo com este objectivo o desenvolvimento metodológico é o seguinte: 1. Realização do catálogo florístico vascular das montanhas do norte de Portugal (província de Trás-os-Montes e bacia hidrográfica do rio Douro na Beira Alta), o qual está devidamente comentado, de modo a conter informação florística básica e essencial; 2. Elaboração das chaves dicotómicas, quer para o conjunto das famílias, quer para cada um dos taxa genérico e infra-genéricos.
Palavras-chave Flora, taxonomia, serras, norte de Portugal

[↑ Voltar ao topo]


Título Flora das serras ocidentais do Nordeste de Portugal. Cadeia montanhosa Leomil-Larouco
Âmbito Estágio de investigação, Relatório Final de Estágio da Licenciatura em Engª Florestal
Autor Ricardo da Costa Dinis Martins
Ano 2005
Resumo Pretendeu-se analisar a flora vascular presente na cadeia montanhosa formada pelas serras Leomil-Lapa-Montemuro-Marão-Alvão-Padrela-Barroso-Larouco. O esquema metodológico aplicado foi o desenvolvido pelo Herbário (Jardim Botânico, D.E.B.A. da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro) para a flora vascular da Região Demarcada do Douro. De acordo com este objectivo o desenvolvimento metodológico foi o seguinte: 1. Relação taxonómica dos exemplares da Divisão Pteridophyta e Divisão Spermatophyta depositados nos herbários da UTAD e da Universidade do Porto (Faculdade de Ciências); 2. Análise da sinonimização taxonómica; 3. Comparação dos resultados obtidos com a informação bibliográfica, de modo a implementar e complementar a informação florística existente; 4. Elaboração do catálogo provisório da flora das serras ocidentais do Nordeste de Portugal.
Palavras-chave Flora, taxonomia, serras ocidentais do Nordeste de Portugal, cadeia montanhosa Leomil-Larouco.

[↑ Voltar ao topo]