Eucalyptus globulus Labill.

Espécie
Eucalyptus globulus
Descritor
Labill.
Género
Família
Ordem
Sub-classe
Rosidae
Classe
Magnoliopsida
Sub-divisão
Magnoliophytina (Angiospermae)
Divisão
Spermatophyta
Tipo Fisionómico
Megafanerófito
Distribuição Geral
Originário Tasmânia e SE Austrália; introduzido em várias zonas do mundo onde se tornou subespontâneo
Nome(s) comum
Eucalipto-comum
Gomeiro-azul
Habitat/Ecologia
Matos
Sinonimias
Não tem
Época Floração
Novembro - Março
No JBUTAD
Sim - G7
Colecção temática

Perfil farmacológico

  • PT Antibacteriano, adstringente, antireumático, antissético, atiespasmódico, estimulante do apetite, desodorizante, expetorante, hipoglicémico e estimulante (óleo essencial das folhas: citronela). 25
  • PT Antibacteriano, adstringente, antireumático, antissético, atiespasmódico, estimulante do apetite, desodorizante, expetorante, hipoglicémico e estimulante (óleo essencial das folhas: citronela). 27
  • PT Antibacteriano, adstringente, antireumático, antissético, atiespasmódico, estimulante do apetite, desodorizante, expetorante, hipoglicémico e estimulante (óleo essencial das folhas: citronela). 29
  • PT Antibacteriano, adstringente, antireumático, antissético, atiespasmódico, estimulante do apetite, desodorizante, expetorante, hipoglicémico e estimulante (óleo essencial das folhas: citronela). 43
  • PT Antibacteriano, adstringente, antireumático, antissético, atiespasmódico, estimulante do apetite, desodorizante, expetorante, hipoglicémico e estimulante (óleo essencial das folhas: citronela). 49
  • PT Antibacteriano, adstringente, antireumático, antissético, atiespasmódico, estimulante do apetite, desodorizante, expetorante, hipoglicémico e estimulante (óleo essencial das folhas: citronela). 108
  • PT Antibacteriano, adstringente, antireumático, antissético, atiespasmódico, estimulante do apetite, desodorizante, expetorante, hipoglicémico e estimulante (óleo essencial das folhas: citronela). 228
  • TX Dermatite de contacto, Urticária, Diarreia, Vómitos, Falta de ar, Tonturas, Náuseas, Delírio, Paralisia, Convulsão e Irritação intestinal grave (doses elevadas de citronela); Mutagénico (citronela usada isoladamente). 101

Galeria de imagens

Fotografia de capa Eucalyptus globulus - do Jardim Botânico
Fotografia 1 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 2 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 3 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 4 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 5 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 6 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 7 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 8 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 9 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 10 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 11 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 12 da espécie Eucalyptus globulus do Jardim Botânico UTAD

Submissão de fotografias temporáriamente não disponível.

Distribuição em Portugal

 

Noroeste ocidental
Noroeste montanhoso
Nordeste ultrabásico
Nordeste leonês
Terra quente
Terra fria
Centro-norte
Centro-oeste calcário
Centro-oeste arenoso
Centro-oeste olissiponense
Centro-oeste cintrano
Centro-leste motanhoso
Centro-leste de campina
Centro-sul miocénico
Centro-sul arrabidense
Centro-sul plistocénico
Sudeste setentrional
Sudeste meridional
Sudoeste setentrional
Sudoeste meridional
Sudoeste montanhoso
Barrocal algarvio
Barlavento
Sotavento
Berlengas

Espécie de interesse florestal

Informação cedida por

Distribuição geral: Surge espontaneamente no Sul da Austrália (Victoria), Tasmânia e nas ilhas do estreito de Bass. Estende se entre as latitudes 38° 26' a 43° 30' Sul. As espécies de eucaliptos em geral surgem na Europa em meados do século XIX, tendo sido introduzidos por monges e naturalistas. Há atualmente cerca de 812.000 ha de eucaliptos no País, sendo a “espécie” florestal com maior área de ocupação (a 2ª é o sobreiro e a 3ª o pinheiro-bravo) (ICNF, 2013);

Caracterização geral: Devido à sensibilidade às geadas e ao frio intenso, é aceite geralmente uma altitude máxima para a extensão de cultivo de Eucalyptus globulus entre os 400 e os 450 metros. No entanto, deverão considerar-se outras particularidades da parcela, tais como a exposição aos ventos dominantes, a insolação ou a possibilidade de geadas frequentes ou neve persistentes. Desta feita, parcelas até aos 550 metros poderão oferecer condições adequadas para o cultivo, enquanto áreas mais baixas mas com condições mais adversas (em lugares muito batidos pelo vento, muito frios ou com geadas habituais), poderão ser recomendáveis para eucaliptos tais como o Eucalyptus nitens. O Eucalyptus globulus tem preferência por climas húmidos, sem geadas, com uma precipitação média anual superior a 700 mm e com uma distribuição pluviométrica uniforme. Trata-se de uma espécie muito sensível à competição de outras plantas, tanto pelos nutrientes como pela luz. Cresce em grande variedade de substratos se bem que seja muito comum em zonas graníticas e arenosas. Geralmente não se apresenta em solos calcários ou fortemente alcalinos e em terrenos mal drenados. A profundidade do solo é outro fator importante a ter em consideração, observando-se maiores crescimentos em substratos mais profundos. Não obstante, devido ao vigor e plasticidade da espécie, é capaz de crescer satisfatoriamente em solos pobres ou pouco profundos, desde que se realize o cultivo adequado. Os melhores crescimentos observam se sobretudo em solos argilosos, siliciosos, soltos e profundos, com uma acidez moderada ou neutra (com valores de pH entre 5 e 7). Este eucalipto não manifesta bons desenvolvimentos em solos excessivamente calcários, muito alcalinos, encharcados ou mal drenados. Rebenta vigorosamente de toiça. Alguns exemplares podem alcançar enormes dimensões, com mais de 90 metros de altura. Conduz se regularmente em regime de talhadia. A recente investigação sobre esta espécie indica que o corte final deve oscilar entre os 12 e os 15 anos. Muito embora, a qualidade do terreno, a qualidade das procedências selecionadas e corretas práticas silvícolas podem contribuir para antecipar o corte final para os 10 a 13 anos. Atualmente é afetado em Portugal pela praga Gonipterus platensis (entre outras) que tem afetado alguns povoamentos.

Propriedades e utilizações: A madeira apresenta qualidades de notável interesse para aproveitamento industrial. É adequada para diversas utilizações, com destaque para o consumo doméstico, lenhas de alto poder calorífico, produção de carbono vegetal, estruturas de edifícios, postes para comunicações, parquet, pasta celulósica, estacas mineiras, entre outras. A pasta de celulose pode ser aproveitada em papel, laminados, transparências, higiénicos e sanitários, fotografia, filtros, papéis eletrónicos, usos especiais tal como elaboração de fibras têxteis, entre outras utilizações. A madeira queimada não tem atualmente saída comercial nem industrial. É uma espécie com interesse para apicultura. Devido à sua floração precoce, permite a produção de um mel típico.

Faça download desta ficha em PDF

Ficha técnica da espécie
Eucalyptus globulus

Partilhe esta página

Poderá estar também interessado em

Eucalyptus citriodoraEucalyptus citriodora
(mesmo género)

Eucalyptus gunniiEucalyptus gunnii
(mesmo género)

Eucalyptus nicholiiEucalyptus nicholii
(mesmo género)

Acca sellowianaAcca sellowiana
(mesma família)

Callistemon citrinusCallistemon citrinus
(mesma família)

Callistemon pallidusCallistemon pallidus
(mesma família)

Utilização das Imagens

Todas as fotografias do Jardim Botânico UTAD são publicadas sob uma licença CC BY-NC 4.0. Pode utiliza-las livremente, para fins não-comerciais, desde que credite o Jardim Botânico e o autor específico da fotografia caso exista. Para uso comercial ou utilização de alguma fotografia sem marca d'água queira entrar em contacto. Pode ver aqui todas as imagens da espécie Eucalyptus globulus.

Comentários