Arbutus unedo L.

Espécie
Arbutus unedo
Descritor
L.
Género
Família
Ordem
Sub-classe
Asteridae
Classe
Magnoliopsida
Sub-divisão
Magnoliophytina (Angiospermae)
Divisão
Spermatophyta
Tipo Fisionómico
Microfanerófito
Distribuição Geral
Irlanda, S Europa, N África, Palestina e Macaronésia
Nome(s) comum
Ervedeiro
Êrvedo
Êrvodo
Medronheiro
Medronheiro-comum
Meródios
Habitat/Ecologia
Matos
Matagais
Sinonimias
Não tem
Época Floração
Outubro - Fevereiro
No JBUTAD
Sim - D7 D9 G7 I3

Perfil farmacológico

  • PT Antibacteriano (acetato de epigalhocatequina). 131
  • PT Adstringente e Diurético (folhas, cascas e raíz). 27
  • PT Adstringente e Diurético (folhas, cascas e raíz). 131
  • PT Adstringente e Diurético (folhas, cascas e raíz). 137
  • PT Antioxidante (fruto). 138

Galeria de imagens

Fotografia de capa Arbutus unedo - do Jardim Botânico
Fotografia 1 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 2 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 3 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 4 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 5 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 6 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 7 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 8 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 9 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 10 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD
Fotografia 11 da espécie Arbutus unedo do Jardim Botânico UTAD

Distribuição em Portugal

 

Noroeste ocidental
Noroeste montanhoso
Nordeste ultrabásico
Nordeste leonês
Terra quente
Terra fria
Centro-norte
Centro-oeste calcário
Centro-oeste arenoso
Centro-oeste olissiponense
Centro-oeste cintrano
Centro-leste motanhoso
Centro-leste de campina
Centro-sul miocénico
Centro-sul arrabidense
Centro-sul plistocénico
Sudeste setentrional
Sudeste meridional
Sudoeste setentrional
Sudoeste meridional
Sudoeste montanhoso
Barrocal algarvio
Barlavento
Sotavento
Berlengas

Espécie de interesse florestal

Informação cedida por

Distribuição geral: O medronheiro é uma das espécies mais comuns na bacia mediterrânica. É de ocorrência vulgar em Portugal, Espanha, França, Sul de Itália e Sul da Grécia, em quase todas as ilhas mediterrânicas, ilhas Canárias, Irlanda e Israel. É uma espécie típica do maquis, logo de terreno ácido. Em Portugal surge espontaneamente no sub bosque de povoamentos de sobreiro, azinheira e pinheiro - bravo, encontrando se em todo o território, mas principalmente a Sul do rio Tejo.

Caracterização geral: Tem preferência por climas temperados, com invernos suaves e poucos dias de temperaturas baixas. Vegeta bem em estações onde a temperatura média anual superioriza os 12,5°C. Os fortes ventos poderão prejudicar a floração e a frutificação, com especial relevo daqueles que provêm do quadrante Este, geralmente muito secos e quentes e os marítimos. Deverão evitar-se as zonas de cota inferior onde se acumula ar frio e as exposições Norte porque as jovens plantas são particularmente sensíveis a estas condições. A precipitação média anual desejável encontra-se entre os 500 e 1400 mm. No decorrer da época de floração (meados de Janeiro até fins de Março), o efeito das chuvadas intensas e do nevoeiro poderá ser devastador. Por outro lado, as chuvadas tardias de Junho, Julho e Agosto poderão provocar a queda de frutos. O granizo e as geadas são também fatores climatéricos aos quais o medronheiro é bastante sensível: embora dependendo das alturas em que ocorrem, o primeiro pode provocar a queda de frutos e a ocorrência de lesões que aumentam a suscetibilidade a agentes patogénicos; o segundo, queima a folhada, novos rebentos e destrói as flores. 0 medronheiro é bastante plástico quanto à natureza edáfica. Prefere contudo os solos arenosos, siliciosos e frescos De um modo geral, é indicadora de solos que não perderam o seu fundo de fertilidade. Revela preferência por solos ácidos, embora vegete também em solos alcalinos. Rebenta bem de raiz permitindo até a sobrevivência à passagem do fogo mas com perda no porte futuro. A copa é arredondada. A produção principal é o fruto e consideram-se rentáveis produções na ordem dos 150 a 250 arrobas/ha. 0 medronheiro é produzido em monocultura com densidades de 150 a 600 pés/ha ou consociado ao sobreiro, em densidades de 300 a 600 pés/ha para 100 a 300 sobreiros/ha, ou ainda ao pinheiro - bravo ou ao pinheiro.

Propriedades e utilizações: Atualmente, a produção de aguardente através da fermentação dos frutos é a principal razão de interesse económico desta cultura. A lenha e o carvão de medronheiro são de qualidade superior aos de azinheira, embora seja discutível a rentabilidade económica da sua produção. Tem aumentado o interesse desta espécie para usos ornamentais em jardinaria e os seus ramos verdes em arranjos florais. O medronheiro desempenha um papel importante na compartimentação de terrenos e na preservação dos recursos faunísticos. Protege também o solo ao proporcionar um ensombramento denso e folhada rica em nutrientes.

Faça download desta ficha em PDF

Ficha técnica da espécie
Arbutus unedo

Partilhe esta página

Poderá estar também interessado em

Arctostaphylos uva-ursiArctostaphylos uva-ursi
(mesma família)

Calluna vulgarisCalluna vulgaris
(mesma família)

Corema albumCorema album
(mesma família)

Daboecia cantabricaDaboecia cantabrica
(mesma família)

Erica arboreaErica arborea
(mesma família)

Erica australisErica australis
(mesma família)

Erica ciliarisErica ciliaris
(mesma família)

Erica cinereaErica cinerea
(mesma família)

Utilização das Imagens

Todas as fotografias do Jardim Botânico UTAD são publicadas sob uma licença CC BY-NC 4.0. Pode utiliza-las livremente, para fins não-comerciais, desde que credite o Jardim Botânico e o autor específico da fotografia caso exista. Para uso comercial ou utilização de alguma fotografia sem marca d'água queira entrar em contacto. Pode ver aqui todas as imagens da espécie Arbutus unedo.

Comentários