Pesquisa

Translate Site

Instagram

O JB está agora no Instagram. Siga-nos aqui.

Voltar ao Topo

Anogramma leptophylla (L.) Link

Espécie:
Anogramma leptophylla
Descritor:
(L.) Link
Género:
Família:
Ordem:
Sub-classe:
-
Classe:
Polypodiopsida (Filicopsida)
Sub-divisão:
-
Divisão:
Monilophyta (Pteridophyta)
Tipo Fisionómico:
Geófito
Distribuição Geral:
Cosmopolita: na Europa Atlântica, Região Mediterrânica, Macaronésia, África tropical, África do S, Próximo e Extremo Oriente, India, Austrália, Nova Zelândia, C e S América
Dist. em Portugal:
Mapa não disponível
Nome Comum:
Anograma-de-folha-estreita
Habitat/Ecologia:
Rupícola
Sinonimias
Não tem
Época Floração:
Fevereiro - Setembro
No JB-UTAD:
Sim - D4 D7 D8
Colecção temática:
Não pertence a nenhuma colecção.

Fotografia da Anogramma leptophylla

Galeria de imagens

Fotografia 1 da espécie Anogramma leptophylla no Jardim Botânico UTADFotografia 2 da espécie Anogramma leptophylla no Jardim Botânico UTADFotografia 3 da espécie Anogramma leptophylla no Jardim Botânico UTADFotografia 4 da espécie Anogramma leptophylla no Jardim Botânico UTADFotografia 5 da espécie Anogramma leptophylla no Jardim Botânico UTAD

Tem fotografias desta espécie? Submeta as suas.

Acesso por QRCode

[Como vai ver no seu telemóvel]

qrcode


História e Evolução

Merece a pena olhar com alguma calma para a formidável diversidade de fetos que povoam a Península Ibérica e toda a bacia Mediterrânica. Qual será a razão desta formidável diversidade e que implicações pode ter para compreendermos a diversidade florística em que estamos submersos? A resposta não é deste tempo. Temos que voltar à primeira grande época das plantas vasculares, antes da catástrofe Pérmico-Triásica. Nesse tempo a Península e todas as microplacas que agora integram a bacia Mediterrânica, estavam inseridos na faixa tropical do planeta. Até à consolidação definitiva da Pangeia, todas estas microplacas formavam um rico e complexo conjunto de ilhas com uma luxuriante vegetação tropical, dominada por Licófitas, Equisetópsidas y Monilófitas. Fetos herbáceos, arbustivos e arbóreos caracterizavam um denso e muito diversificado tapete vegetal, sob climas expostos aos efeitos de periódicas glaciações e níveis de dióxido de carbono semelhantes aos atuais. Tais circunstâncias faziam com que todas essas ilhas tropicais recebessem um altíssimo conjunto de flora, forçando uma especiação rápida e constante da mesma.

O massacre Pérmico-Triásico, provocado pela formação do maior continente que o planeta teve nos últimos 400 milhões de anos, a Pangeia, eliminou perto do 90% dessa riqueza natural. Mas tal circunstância não impediu que muitos desses fetos encontrassem refúgios naturais onde ainda conseguiram continuar a sua vida. A riqueza pteridológica que hoje temos connosco é o resultado dessa posição geográfica privilegiada do paleofítico (até meados do Pérmico), bem como da existência de refúgios naturais e de uma outra ajuda que veio mais tarde, já no Jurássico. Nesse período pós-Triásico a atual bacia Mediterrânica voltou a ocupar uma posição tropical (geograficamente subtropical, mas climaticamente paleotropical monçónica). Novamente toda essa riqueza de fetos tornou a acompanhar agora uma flora drasticamente mudada, mas voltou...

A foto de hoje corresponde a um pequenino feto anual ou bianual, que podemos encontrar em todo o país, na Eurásia atlântica, na bacia Mediterrânica e em zonas paleotropicais do resto do planeta. A Anogramma leptophylla (L.) Link é aquele feto das rochas e paredes umbrias, algo húmidas e frescas que timidamente e em silêncio vai emergindo entre fendas e pequenas gretas. Um sinal dum tempo passado e de um presente rico e promissório.




Faça download desta ficha em PDF


Partilhe esta página

Poderá estar também interessado em:

#
Cheilanthes acrostica

(mesma família)
#
Cheilanthes guanchica

(mesma família)
#
Cheilanthes hispanica

(mesma família)
#
Cheilanthes maderensis

(mesma família)
#
Cheilanthes tinaei

(mesma família)

Utilização das Imagens

Todas as fotografias do Jardim Botânico UTAD são publicadas sob uma licença CC BY-NC 4.0. Pode utiliza-las livremente, para fins não-comerciais, desde que credite o Jardim Botânico e o autor específico da fotografia caso exista. Para uso comercial ou utilização de alguma fotografia sem marca d'água queira entrar em contacto.

Utilize os seguintes endereços:

Fotogafias de espécie:
https://jb.utad.pt/imagem/553
https://jb.utad.pt/imagem/6577
https://jb.utad.pt/imagem/7628
https://jb.utad.pt/imagem/9252
https://jb.utad.pt/imagem/12346

Comentários